POR QUE DEVO SABER O NÍVEL DE INGLÊS DO MEU ALUNO?

YZG | Franquias
Campanha 70 anos

20

JUL

Quem lidera uma franquia de idiomas ou deseja trabalhar no ramo precisa entender qual o nível de conhecimento que seu público-alvo tem. Ele conhece muito ou pouco da língua que deseja estudar? Costuma conversar, ler ou ouvir conteúdos estrangeiros? Consegue criar frases e argumentos? Para ter uma noção desse conhecimento, é preciso testar seu nível de inglês.  

Pode parecer bobagem, mas conhecer o nível de inglês ajuda tanto a criar turmas quanto a oferecer testes de proficiência para o aluno. Neste texto, você vai conhecer um pouco mais dessa classificação. Confira!  

O que é nível de inglês?  

É uma forma de avaliar o quanto seu aluno tem domínio sobre o idioma. Para isso, um dos padrões utilizado no mundo é o Common European Framework of Reference for Languages ou Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR), em português. Usado para aferir o conhecimento em diferentes idiomas, esse padrão europeu considera os níveis de expressão e compreensão tanto na fala quanto na escrita.  

O CEFR classifica o nível de inglês de um indivíduo em três níveis, cada um deles subdividido em mais dois. Essa categorização ajuda tanto para saber em qual turma de uma escola de idiomas um aluno deve ser encaixado quanto para classificar sua proficiência na homologação de algum título.  

Para saber qual o nível de inglês de um aluno, geralmente a escola passa uma prova escrita e uma conversa no idioma, que serve como uma avaliação oral. Ambas as provas avaliam as capacidades de compreensão e dissertação.  

Vamos conhecer os seis níveis de inglês:  

Nível de inglês A  

No nível A, o aluno tem conhecimento básico sobre o idioma. Ele é capaz de compreender e usar boa parte de expressões cotidianas e já começa a formular frases com pronomes básicos e verbos.  

O nível de inglês básico permite ao aluno apresentar a si mesmo e outras pessoas, fazer perguntas simples e responder questões como idade e gostos pessoais.  

O nível A é subdivido em duas categorias:  

  • A1 — iniciante: utiliza frases básicas e responde perguntas simples, como nome, idade e onde vive;  
  • A2 — básico: com um pouco mais de conhecimento, o aluno consegue falar com um pouco mais de detalhes sobre elementos do seu dia a dia, como família, amigos, trabalho e refeições.  

Nível de inglês B  

É o nível de inglês intermediário, em que o aluno consegue formular frases mais complexas e consegue escutar e escrever com mais facilidade. Além disso, consegue compreender com mais facilidade um nativo da língua inglesa, que costuma falar com mais rapidez e sotaque carregado. Contudo, ainda não tem domínio sobre o idioma.  

  • B1 — intermediário: o aluno consegue descrever sentimentos e comportamentos de maneira mais complexa. Além disso, pode se divertir em uma viagem internacional de férias com mais desenvoltura;  
  • B2 — independente: o aluno consegue manter um diálogo mais longo com um nativo sem que haja muitas dificuldades. Além disso, consegue ler textos mais complexos e até técnicos, desde que estejam dentro de sua área de atuação.  

Nível de inglês C  

É o nível de inglês de quem já é proficiente na língua — o que pode ser avançado ou fluente. O aluno já tem domínio sobre o idioma e pode até não saber um termo ou outro, mas não terá problemas caso more em outro país.  

O nível C também é o mais solicitado por instituições acadêmicas para quem deseja estudar ou trabalhar fora do país. Ele se subdivide em:  

  • C1 — avançado: além de falar de maneira fluida, o aluno também entende expressões mais complexas, técnicas e até mesmo implícitas. Também é capaz de utilizar o idioma em textos acadêmicos e profissionais;  
  • C2 — fluente: é o nível mais alto, em que o aluno é capaz de entender tudo o que ouve e lê, além de dissertar sem dificuldades sobre diferentes assuntos.  

Global Scale of English: a escala de inglês elaborada pela Pearson  

Além do CEFR, a Pearson — a maior empresa de educação do mundo e detentora do Yázigi — tem uma escala própria: a Global Scale of English (GSE), primeiro padrão de língua inglesa verdadeiramente global. Seu objetivo é ajudar o professor a acompanhar o progresso do aluno com mais facilidade.  

Baseada em pesquisas envolvendo mais de 6 mil professores em mais de 50 países, a GSE estende o CEFR identificando em uma escala de 10 a 90 o que precisa ser dominado para as quatro habilidades de falar, ouvir, ler e escrever dentro de um nível CEFR, usando uma abordagem mais granular.  

Os recursos da GSE ajudam os professores a selecionar os objetivos de aprendizado, gramática e vocabulário corretos necessários para que seus alunos passem para o próximo nível. É uma maneira mais eficaz de selecionar a lição certa, os materiais do curso ou as avaliações no momento certo.  

Como a GSE ajuda a classificar o nível de inglês dos alunos?  

Os professores podem usar uma estrutura comum para medir o progresso do aluno em nível local, nacional ou internacional – uma que fornece ferramentas que os orientam na identificação de áreas de foco e na criação de conteúdo apropriado à aula.  

Os alunos se beneficiam porque terão uma compreensão clara do que precisa ser aprendido em cada nível do CEFR, mantendo-os motivados.  

Pronto para conhecer o nível de inglês dos seus alunos? E se você quer ter sucesso em seu negócio, a escola de inglês mais tradicional no mercado de franquias do Brasil com certeza é a melhor escolha para seu investimento. Conheça mais sobre as franquias Yázigi e torne-se um franqueado de sucesso! 

Twitter Tweetar
Facebook Compartilhar
WhatsApp Enviar
©Yázigi Todos os direitos reservados.
Av. João Scarparo Netto, 84 Condomínio Unique Village - Santa Genebra 13080-655 - Campinas/SP
Pearson - Always Learning