GESTÃO ESCOLAR: 8 DICAS PARA MANTER A EFICIÊNCIA DA INSTITUIÇÃO

YZG | Franquias
Campanha 70 anos

18

AGO

O bom funcionamento de uma instituição de ensino passa pela gestão escolar.

Afinal, é o gestor o responsável por criar estratégias para facilitar o trabalho e proporcionar um ambiente ideal a alunos, responsáveis e profissionais. 

Saiba como fazer isso no nosso artigo de hoje! 

8 dicas para uma gestão escolar eficiente 

Gerir bem sua instituição de ensino é fundamental para o aumento de matrículas e, se desejado, o surgimento de uma rede. A partir de agora, confira os principais pontos para uma boa gestão. 

1. Ter um bom planejamento anual  

Planejar é contar com um guia para agir de maneira mais segura durante o ano.  

Com um bom planejamento anual, é possível criar estratégias de aquisição e retenção de alunos, desenvolver uma grade curricular, distribuir conteúdo presencial e online e elaborar um cronograma de reuniões.

Mas é claro que algumas etapas podem ser mudadas ao longo do tempo. Afinal, fatores externos e humanos levam a instituição a rumos diferentes. Mesmo assim, o cerne deve ser mantido, caso os objetivos não sejam alterados. 

2. Cuidar das finanças

Manter uma empresa em pleno funcionamento fica muito mais fácil quando há um cuidado com a parte financeira. 

Por isso, acompanhe entradas (recebimentos) e saídas (gastos) mensais. Assim, você verá se a escola fecha o mês com saldo positivo e poderá administrar esse dinheiro. 

Trabalhar com um software de gestão escolar facilita o procedimento, pois essa ferramenta permite lidar com o fluxo de caixa, identificar despesas desnecessárias, fazer um orçamento mensal e ter um índice de inadimplência.

Com esses dados, é possível criar estratégias para contornar problemas e atrair alunos. Por exemplo: uma parte dos recursos pode ir para investimentos em tecnologia em sala de aula.

O ideal é contar com profissionais de contabilidade para lidar com as finanças no dia a dia. Mas os responsáveis pela gestão escolar também devem conhecer com detalhes todas as receitas e despesas da instituição de ensino.

Dessa maneira, podem analisar e compreender diferentes métricas, como o Retorno sobre Investimento (ROI), o Custo de Aquisição de Clientes (CAC) e o Valor de Ciclo de Vida do Cliente (Lifetime Value ou LTV).

3. Investir na equipe 

Sua equipe é fundamental para a gestão escolar — professores, coordenadores, monitores, profissionais de contabilidade, marketing, atendimento, limpeza etc. 

Portanto, conte com um orçamento que contemple as necessidades de cada setor, fazendo o possível para supri-las sem comprometer as finanças da escola. E não se esqueça do RH: ele será responsável por escolher os melhores e mais adequados profissionais para a sua instituição.  

Por fim, ouça seus profissionais. Essa troca de ideias, experiências, sugestões e críticas vai deixar o ambiente mais aberto e tolerante ao novo — fatores fundamentais na atualidade. Além disso, ajuda a reter talentos e até a poupar dinheiro com troca de funcionários. 

4. Relacionar-se com os pais 

Uma parte importante da gestão escolar tem a ver com o relacionamento com os responsáveis. Afinal, é preciso alinhar expectativas e mostrar a eles que todas as iniciativas da instituição colocam o estudante em primeiro lugar — sem, claro, atravessar a autoridade do professor em sala de aula.  

Portanto, explique o projeto pedagógico no início do ano, mande mensagens, faça reuniões e promova eventos que mostrem aos pais o que os alunos aprendem. Tudo isso os coloca dentro do processo de aprendizagem e os torna mais participativos, para que atuem com a escola na educação dos filhos.

Ter um bom relacionamento também ajuda a evitar altos índices de inadimplência, pois a instituição e os responsáveis podem entrar em um consenso sobre como as mensalidades deverão ser pagas. Quando eles percebem que você está disposto a resolver o problema amigavelmente, sentem confiança.

6. Focar nas necessidades do estudante 

A metodologia passiva, em que o aluno apenas ouvia e recebia informações, não é tão aceita como antes.  

Com a possibilidade de acessar conhecimentos de todos os tipos e formatos via internet, o estudante se sente mais preparado para questionar e sugerir. 

No entanto, ele precisa se sentir envolvido com a aula. Proibir o uso do celular não vai prender sua atenção ao professor.

As metodologias ativas de aprendizagem trouxeram uma nova forma de ensino, em que o aluno é protagonista.

Com isso, a internet se tornou uma aliada. Ela pode ser utilizada pelo docente para mostrar fontes confiáveis de conhecimento e novas formas de pesquisa.  

6. Apostar em recursos tecnológicos 

O erro de muitas instituições é encarar a tecnologia como uma inimiga que tira o foco do aluno dos estudos. 

Pelo contrário: plataformas de ensino, bibliotecas virtuais e gamificação, entre outros recursos, levaram a aprendizagem para qualquer lugar em que o estudante estiver com o celular. 

Portanto, em vez de enxergar a tecnologia de maneira negativa, coloque-a dentro de sala de aula com jogos, aplicativos e métodos interativos, que façam o aluno se divertir e aprender ao mesmo tempo. 

7. Manter-se atualizado 

Muitos métodos e tecnologias usados em uma instituição de ensino podem afastar os estudantes. Isso porque já não conversam com eles; estão ali somente por comodismo. 

A escola, portanto, não pode achar que se manter atualizada é apenas oferecer computadores com acesso à internet aos alunos.  

Esses equipamentos precisam funcionar como meios para o conhecimento, contando com ferramentas pedagógicas de aprendizagem online. 

Então, conheça seu aluno: entenda aquilo que ele precisa e gosta. Além, é claro, do que é tendência para a faixa etária dele.

Peça a opinião dos estudantes sobre o que eles acham importante nas instituições de ensino. Assim, vocês evoluem juntos. 

8. Oferecer educação bilíngue 

Você sabia que apenas 1% dos profissionais atualmente se consideram fluentes na língua inglesa? No entanto, quanto mais cedo uma criança aprende um novo idioma, mais fácil consegue assimilá-lo. 

E, assim como outras matérias da grade curricular, o inglês não deve ser ensinado no tradicional sistema de anotações na lousa.

O ideal é oferecer uma educação bilíngue, em que a língua é assimilada com naturalidade, no dia a dia escolar. 

Yázigi Learning Experience 

O Yázigi Learning Experience (YLE) é a maneira mais prática e interativa de levar o ensino bilíngue para a sua instituição. 

O sistema oferece três modalidades:  

  1. duas aulas semanais em inglês na grade curricular obrigatória. Disponível para todas as idades;  
  2. cinco aulas em inglês por semana grade curricular obrigatória. Assim, o contato será diário. Disponível para o Fundamental I;  
  3. duas aulas semanais em inglês fora da grade curricular obrigatória. Portanto, mais tempo de ensino, mas com uma turma reduzida. Disponível para todas as faixas etárias e os anos escolares. 

Essas modalidades têm garantia de resultado de aprendizagem conforme escalas internacionais (GSE/CEFR).  

Gostou do programa? Então, saiba mais sobre o YLE e ofereça ensino bilíngue aos seus alunos!

Twitter Tweetar
Facebook Compartilhar
WhatsApp Enviar
©Yázigi Todos os direitos reservados.
Av. João Scarparo Netto, 84 Condomínio Unique Village - Santa Genebra 13080-655 - Campinas/SP
Pearson - Always Learning